"Um universo inteiro cabe dentro de um grão de areia..."

terça-feira, 5 de outubro de 2010

"Pior do que tá não fica?"


Mais um mês sem escrever nada aqui...
=/

Pensei um bocado pra escrever...
Pensei em escrever sobre política (assunto do momento no Brasil), sobre família, saudade, distância, férias, folga, "pernas-pro-ar", Alice, etc. etc. etc...
Mas...
Não parei para fazê-lo...

Então hoje quando recebi um email de um amigo, logo pensei, essas são justamente as palavras que se encaixam nesse momento histórico em que nos encontramos!! Assim como no que gostaria de postar aqui!
Pedi licença a ele, parabenizei-o e sem mais palavras, posto aqui seu texto.






Pra refletir...





Pior do que tá não fica?



Um milhão, trezentos e cinquenta e três mil, oitocentos e vinte votos (1.353.820).  Esse quantitativo te diz alguma coisa? Se não diz para você, com certeza ecoa como uma melodiosa vitória para o tão comentado (e agora ilustríssimo) deputado federal Francisco Everardo Oliveira Silva, um palhaço. Não, isso não é uma ofensa. Estamos falando aqui do palhaço Tiririca, o famoso, e até pouco tempo esquecido, compositor de “Florentina”.
Fazendo do horário eleitoral um verdadeiro circo (ou esse não seria esse o local, por excelência, dos palhaços?), Francisco se despiu de qualquer pretensão revolucionária ou de modificação da realidade política brasileira. Em troca, proporcionou momentos de riso, graça, e para alguns, desespero. Como um candidato afirma não conhecer, sequer, as suas futuras atribuições enquanto deputado federal? Como pode não possuir, ao menos, uma proposta? E mais, como tem coragem de se auto-intitular de “abestado”?
Até ontem (dia 03 de outubro), eram os eleitores que riam das brincadeiras e piadas de Tiririca. Hoje, um dia depois, é o Francisco Tiririca que está rindo a toa. Não só ele, mas o Partido da República também, que com a avalanche de votos para o seu candidato estrela, conseguiu alavancar a candidatura de, pelo menos, mais três deputados da sua legenda. Hoje, eleitores como eu, devem ter acordado como o mesmo questionamento: ignorância? Revolta? Conformismo? Estupidez? Esperança? Por favor, alguém me responda por que isso aconteceu! Por que os brasileiros consagraram Tiririca?
O segundo deputado federal mais votado da história do País, para se eleger, só precisou fazer graça. Tiririca brincou com o povo brasileiro, e o povo brasileiro, em resposta, mostrou que também brinca nas urnas. De quem é a culpa? De um lado, políticos multimilionários e marqueteiros que não medem esforços para arrecadar o máximo de votos possíveis para o seu partido, fazendo campanhas comoventes, colocando excelentes atores para fazer chorar e emocionar a massa eleitoreira e ofertando um verdadeiro “show de bizarrices” para a população, indo desde candidatas com nomes de frutas até falidos ex-atletas, atores, cantores e... palhaços!
Do outro lado, nós, brasileiros em um país em desenvolvimento, mas que não consegue desenvolver a consciência política do seu povo. Quer dizer: não consegue ou não quer? Será esse resultado eleitoral apenas um sintoma da política de alienação e manutenção do status quo? Será a desvalorização das escolas de nível fundamental e médio apenas uma forma de mostrar que ainda somos regidos por uma máquina ideológica do Estado?
Talvez esse seja o nosso maior problema: nós, população, não somos estimulados, muito menos ensinados, a pensar. A escola, na verdade, acaba representando apenas um ambiente de torturante preparação para o vestibular. Decoramos fórmulas, equações, datas, sintaxes, nomes e pensamentos. PRONTO.
Os mais esperançosos, ao ler esse texto, dirão: “ah, também não é assim, há sinais de mudança”. Não discordo, existem mudanças, pequenas, mas estão aí. Contudo, essas mudanças ainda não ressoam, ainda não são suficientes para nos preparar para lutar por tudo aquilo que precisamos para vivermos com dignidade, respeito e conforto. Deixemos de procurar culpados e partamos à procura de soluções.
Nós, universitários, professores, servidores públicos, família, o que estamos fazendo para contribuir na modificação de nossa realidade? Não adianta se angustiar, ficar desestimulado, o trabalho é grande e urgente. Ontem ouvi diversas reclamações pela iminência de um segundo turno. PESSOAL, ESSE É O MOMENTO. Exploremos mais os candidatos, conheçamos o que dizem e o que já fizeram. Deixemos de reclamar e partamos para a pesquisa! Temos mais quatro semanas para pensar (ou repensar) nosso voto e eleger o maior representante do Estado. Alguém conhece as propostas de Dilma? E as de Serra? Não se feche, saia da redoma confortável de ir pela opinião dos outros, pesquise, nem que seja pelo Google! Procure sobre o histórico, sobre o desempenho nos cargos anteriores, sobre o partido de cada um (ou você acha que a Dilma ou o Serra governarão sozinhos? Há um batalhão por trás de cada um deles). Ainda há tempo de lutarmos por um País melhor, mais justo, mais inclusivo.
Pior do que tá pode ficar SIM, não esqueçam.




Josemar Soares.
04/10/2010 

.

2 comentários:

  1. Nossa mt bom o texto.
    saudades de tu :*

    ResponderExcluir
  2. Gostei do texto! Parabéns!


    Mayra Soares!

    ResponderExcluir

Obrigada! =]