"Um universo inteiro cabe dentro de um grão de areia..."

quarta-feira, 26 de maio de 2010

As palavras simplesmente se esconderam agora! (Lógico, deixei o título por último...)

...



...

Eu já falei aqui que a força que me paralisa é a mesma que me impulsiona?
Pois... Estou sob efeito dela agorinha!
Ao mesmo tempo que tenho um turbilhão de coisas, pensamentos, palavras na cabeça, doidas para jorrarem corpo a fora, não consigo organizá-las que forma a fazerem-se compreensíveis a mais alguém além de mim mesma! 
Na verdade, algumas vezes, incompreensíveis até para mim mesma.

...

Bom, o que consigo dizer agora, é que estou vivendo um efeito boomerangue de uma energia cósmica com o volume de uma onça! 
Sei lá o que foi que eu disse... Nem sei como nomear isso, mas foi essa a definição que me veio agora, em meio a tantas muitas outras!
Ah, algo que pode ser, de certa forma, explicado através da Lei da Atração, conhece?!

Nossa, como eu queria poder expressar de forma inteligível meu momento!!
Poderia muito bem fazer isso através de imagens, músicas e poemas de autores diversos, mas... "Alguém", que costuma ser bastante "Franco" no que diz, disse que prefere quando expresso o que sinto através de minhas próprias palavras. Então, de certa forma, estou passando por essa confusão momentânea de ideias por culpa desse certo Alguém, viu Sr. Alguém?!
Só estou fazendo isso por você porque há exatos trezentos e setenta e cinco dias te conheço! E porque você é "maluco" o suficiente para se entregar tão prontamente como eu!

Pera, antes que isso pareça uma homenagem romântica, PARA TUDO!

Porque, segundo Silveira Bueno (2000), isso é uma homenagem romântica sim, mas, porém, contudo, entretanto, por todas as vias, não se trata de uma homenagem idílica. (Gostei dessa definição!)
O problema é que o capitalismo modificou o conceito do termo Romantismo ao longo dos muitos 14 de fevereiro e 12 de junho...
Voltando ao que interessa...
Agradeço aqui, principalmente ao pequeno Pólen, responsável por muita coisa aqui, que nem sei se já se deu conta de sê-lo culpado por isso.

Uau! Acho que já ultrapassei os limites do romantismo permitido para o horário... (esse é o horário reservado para coisas por vezes românticas, outras não... depende do ponto de vista, ou não vista, sei lá!) 

Pensando bem (se é que é possível), acho que parte disso é resultado de uma mistura de Coldplay com Chá Mate e ansiedade pré-prova!
Dissonância na certa!

...

"In my place, in my place...
Were lines that I couldn't change
I was lost, oh yeah
I was lost, I was lost
Crossed lines I shouldn't have crossed
I was lost, oh yeah"
[Chris Martin / Guy Berryman / Jon Buckland / Will Champion]


No! There's not my place! 
This place is strange for me!
I'm just a passenger.



I think so!
I'm not sure.

Accept me or not. 


That's me. 
And, that, I'm sure! 

And more,
Blow up!

I'm right teacher?
[Eu mesma!


Não teve jeito.
Usarei um vídeo para complementar esses  loucos pensamentos toscos, bagunçados, e (aparentemente) nonsense.




Obs.: Adoro essa música! Diz muito do que vivo, now!


Agora vou ali...

The White Rabbit is calling me!!

"So follow me down!"

"Feed

your

head,

feed

your

head !"



Anne Barreto
26 de maio de 2010.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Passível de Vício...






A mulher é um jogo
Difícil de acertar
E o homem como um bobo
Não se cansa de jogar

O que eu posso fazer
É se você jurar
Arriscar a perder
(Ou desta vez então ganhar)

[Ismael Silva, Nílton Bastos e Francisco Alves]

terça-feira, 18 de maio de 2010

"Heterofobia"?!?!



Quando a gente pensa que já ouviu de tudo, surge gente pra falar absurdos ainda maiores!!
É incrível a capacidade que as pessoas têm de criar palavras e dentro dos seus neologismos acreditarem- se legítimos. Como por exemplo, o termo "heterofobia" , há tão pouco "criado" e tão amplamente utilizado, e que por ser veiculada pela mídia é tida como verdade absoluta para o senso comum.  É tão recente que só é possível encontrá-lo em dicionários informais, sendo apenas mais uma forma de expressão do preconceito.

Mais uma vez, fico sem palavras frente à tamanha indignação... (coisa que tem acontecido com bastante frequência.. . Triste...)



Anne Barreto
18/05/10

Defesa de direitos humanos não são "simples opinião"


Defesa de direitos humanos não são "simples opinião"

A Associação Brasileira de Psicologia Social (ABRPASO) e o Fórum de Entidades Nacionais da Psicologia Brasileira (FENPB) vêm a público posicionar-se criticamente em relação ao texto publicado do jornal Diário de Pernambuco, dia 15 de maio, na coluna “Graça & Paz” por Angelo Manasses, intitulada “Heterofobia”.
Consideramos absurdas declarações como as expressas neste texto, que buscam sustentar a homofobia como uma “simples opinião” e como se combater e criminalizar posturas homofóbicas significasse cercear a liberdade de expressão dos seus autores. Muito menos, sustenta-se sua tese de que caracterizar a homofobia como crime seria, no fundo, impedir religiosos de criticar relacionamentos homoafetivos. A leitura enviesada revela uma absurda distorção e profundo desconhecimento do colunista em relação à realidade da população não-heterossexual, marcada por graves violências em diversos espaços (públicos e privados) da vida em sociedade.
Baseados em sua tese, poderiam ser aceitos como apenas expressando uma “simples opinião”: alguém (religioso ou não) que defendesse o extermínio de determinadas populações (judeus ou indígenas, por exemplo), ou alguém que discriminasse pessoas por seu pertencimento racial, ou ainda que defendesse a extinção da pobreza exterminando os pobres.
Em sua posição, o senhor revela total desconhecimento de estudos científicos e de estatísticas de violência homofóbica em nosso país. V.Sa. se refere a uma espécie de discriminação às avessas, quando ousa comparar a homofobia com uma espécie de “heterofobia”. Desconhece que a homofobia vem sendo sustentada por leis que não reconhecem e impedem a livre união entre pessoas do mesmo sexo; desconhece meios de comunicação que, em linhas gerais, inscrevem a homossexualidade no campo do humor e ridicularizam- na, e demonstra não ter o mínimo conhecimento de vários outros dispositivos dessa sociedade que insistem em não reconhecer plenamente princípios fundamentais de ética e direitos humanos.
Não há oposição entre heterossexuais e homossexuais como vossos escritos buscam mostrar, mas há sim oposição entre os que insistem em não reconhecer setores da sociedade que são violentamente discriminados esquivando-se do diálogo, e os que desejam que as diferentes maneiras de viver sejam respeitadas.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Cinema no Vale apresenta o filme: "Dúvida" (Doubt)



Cinema no Vale apresenta o filme: "Dúvida" (Doubt)


Data: 22/05/2010
Local: Auditório da Biblioteca, Campus UNIVASF, Petrolina
Horário: 17h


Apareçam!
Entrada Gratuita!

Projeto NOVAS BOSSAS



Projeto NOVAS BOSSAS
O projeto NOVAS BOSSAS tem como objetivo convocar, instigar @s discentes, de qualquer curso ou campi, a se apresentar nos espaços 'ociosos' da UNIVASF, visando dinamizar a rotina universitária da comunidade acadêmica; promover e divulgar a produção cultural que existe dentro da UNIVASF; bem como construir uma rede de produção, canal de interlocução, interação artístico- cultural entre @s discentes dos vários cursos da universidade. As formas de apresentação, expressão são as mais diversas, incluindo música, teatro, dança, poesia, fotografia e vídeo.

A princípio as atividades/apresent ações serão desenvolvidas em frente à Biblioteca (Campus Petrolina), estas só poderão ser desenvolvidas nos intervalos das aulas: 12:00 às 14:00 ou entre 17:00 e 19:00.

Este projeto é uma iniciativa do Professor Afonso Henrique junto à Assessoria de Cultura da UNIVASF.
Os/as interessados (as) em participar, devem procurar o professor Afonso Henrique ou ligar para o Colegiado de Psicologia (87- 3862 93 20).
Participe e traga NOVAS BOSSAS para a Universidade!
Divulgue!
“Se de repente
A gente distraísse
O ferro do suplício
Ao som de uma canção
Então, eu te convidaria
Pra uma fantasia
Do meu violão”.(Chico Buarque)

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Essência...

 



A força que me impulsiona
é a mesma que me 
paralisa.

Já não sei mais se 
faz parte de mim,
Ou eu dela...

Quem é figura 
e/ou fundo de quem...


Anne Barreto
13 de maio, 2010

ESCLARECIMENTOS À COMUNIDADE ACADÊMICA DA UNIVASF.

Prezados (as) docentes, discentes e servidores,

A estudante Deisiane Barreto, que se denomina a atual presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UNIVASF – mesmo que a eleição tenha sido considerada ilegítima pelo Conselho de Entidades de Base (CEB), o mesmo órgão que tornou o processo eleitoral legítimo – expôs sua opinião na comunidade oficial da UNIVASF no site de relacionamento (Orkut) sobre os motivos de o DAPSI apoiar a impugnação das eleições do DCE: “A todos os univasfianos (esclarecimentos)
Vocês devem estar se perguntando o porque de tanta de indignação de DAPSI (Diretório Acadêmico de Psicologia), pois eu enquanto presidente do Diretório Central dos Estudantes(DCE) lhes respondo: Se encontra em minhas mãos o Ofício 01/2010.1-DAPSI, Petrolina, 11 de Março de 2010. Onde vem direcionado ao DCE, em que : "Viemos por meio deste, solicitar a utilização da sala do DCE(localizada no Espaço de Convivência da UNIVASF- Campu Petrolina) bem como, o computador que esta dispõe para a realização de nossas reuniões". Caro Tiago, o que você e "seu" DA(porque você mesmo diz ter autonomia para decidir a cerca dos assuntos gerais, sem a consulta aos estudantes de psicologia) querem é a sala do DCE, e no intuito de consegui-la querem impugnar eleição, fazer baixaria, pois meus caros univasfianos, podem ter certeza que vindo de Tiago essa outra eleição, ele e sua corja vão acabar inventando outros "considerando", e impugnando eleição, em cima de eleição, sabe porque? PORQUE ELES NÃO QUEREM A EXISTÊNCIA DO DCE. O DAPSI quer ganhar a sala do DCE no GRITO, na BAIXARIA, mas aqui, caro Tiago não tem estudante Massa de Manobra NÃO! E sabem o que é mais engraço desse dito "CEB" é que além dos CA´s e DA´s, onde a maioria está irregular( Computação, Mecânica, Ciências Farmacêuticas)eles foram "nomeando" os DA´s, e muito PIOR: como nem sequer consultaram Ana Claudia, quando a inscreveram na chapa, não levaram em consideração a vontade do estudante, sim pq quem estava lá votando foram as pessoas e os apoios(pessoas que estavam pedindo voto, né Chico?!) da extinta Chapa2 e nem sequer LERAM o Estatuto onde está explícito que: o CEB É CONSULTIVO, inclusive vocês podem me enviar o documento para que a gestão possa analisar e tomar as medidas possíveis, agora Tiago você que já sabe como se faz, encaminha por ofício, tá. O DCE te espera para dialogar. E Tiago passa lá na sede de Petrolina-Centro hoje, que a gnt vai estar arrumando, pra ver como que o DAPSI vai realizar a reauniões lá... “
O DAPSI entendendo a gravidade do depoimento da discente vem por meio deste comunicar aos estudantes da UNIVASF o nosso descontentamento acerca dos comentários feitos acima.
Sobre a solicitação da sala do DCE pelo DAPSI: Nós do DAPSI no dia 11 de Março enviamos o seguinte oficio ao DCE da última gestão (Instinto Coletivo):
Ao Diretório Central dos Estudantes (DCE)
“Viemos por meio deste, solicitar a utilização da sala do DCE (localizada no Espaço de Convivência da UNIVASF- Campus Petrolina) bem como, o computador que esta dispõe para a realização de nossas reuniões; pois como é sabido por todos, o D.A. não dispõe de um espaço na Universidade para realização de suas atividades. As reuniões do DAPSI geralmente ocorrem semanalmente na Quarta ou Quinta, das 18h00min às 20h00min.  Desde já comprometemo-nos a zelar pelo espaço e dependências, entregando o local da mesma forma que nos foi cedido.”

 A solicitação da sala foi realizada a partir de reclamações dos/das discentes, sobre o fato das reuniões estarem sendo realizadas em corredores da universidade, já que os DA’s e CA’s da UNIVASF não possuem espaço físico para tal, além disso, estamos com problemas de disponibilidade de sala nos horários das reuniões, sendo assim, recorremos ao Diretório Central de Estudantes, por entendermos que a sala disponibilizada para o DCE, pode ser usada por toda e qualquer entidade de base da UNIVASF, desde que essa se comprometa com sua integridade, como exposto no ofício supracitado.
Diante disso, não compreendemos a indignação da dita presidente ao ler esse ofício e lamentamos muito por essa atitude equivocada, cristalizada de uma discente que pretende representar as/os discentes da nossa Universidade.
Por quê a revolta da discente em disponibilizar a sala para a realização das reuniões do DAPSI, já que a utilização desta é de DIREITO de qualquer entidade representativa e de qualquer aluno da universidade?
Que postura enrijecida é essa da dita presidente que interpreta a solicitação da utilização da sala do DCE como se o DAPSI quisesse ser o detentor da sede do Diretório Central dos Estudantes? Isso sem nem ao menos conhecer a história do DAPSI que existe, trabalha, está ativo desde 2005 e realizou muitas conquistas a partir de suas lutas, sem precisar de uma sala “do” DCE e sem jamais receber repasse das carteirinhas da UNE para conseguir algum êxito. Será que Movimento Estudantil se faz com a pose de meros espaços físicos?
Não entendemos o que a discente quis dizer quando afirma “O DAPSI quer ganhar a sala do DCE no GRITO, BAIXARIA...”, não entendemos em que argumentos, documentos ela se embasa para defender o DAPSI como anarquista, quando afirma “PORQUE ELES NÃO QUEREM A EXISTÊNCIA DO DCE (...) impugnando eleição em cima de eleição”. Será que lutar por um processo eleitoral justo, transparente, democrático justifica tais acusações levantadas pela discente?
 Sentimos-nos imensamente lesados e não compreendemos o porquê, ou a partir de que, ela considera o DAPSI como “corja”. A nível de esclarecimento, segundo o AURÉLIO (2004), corja significa “multidão de pessoas desprezíveis de má nota, canalha, corja de vadios”, e não entendemos ainda, a veemência do discurso da discente ao levantar calúnias e difamações objetivando ferir, denegrir o Diretório Acadêmico de Psicologia.
Será que ser crítico, não ser passivo, não ser massa de manobra justifica tamanha violência simbólica ou verbal?
Dito isto, meus caros (as) colegas gostaríamos de enfatizar que durante o processo eleitoral em nenhum momento o DAPSI se posicionou a favor de chapa A ou chapa B, como vocês podem observar no post que fizemos em nosso blog :
Galera,
Não esqueçam que as eleições do DCE ocorrerão segunda-feira (19/04) e terça- feira (20/04). É a primeira vez na história da UNIVASF que as eleições do DCE têm duas chapas opostas, o que está sendo muito importante para a formação política dentro da Universidade; daí a importância da comunidade estudantil analisar cuidadosamente e problematizar as propostas de cada segmento e formar sua reflexão crítica bem como, tomar seu posicionamento frente a cada chapa.
A participação de tod@s nós (estudantes) é de grande relevância, já que quem for eleito vai representar @s discentes, lutar pelos direitos, anseios e demandas da comunidade estudantil.
“Política e politicagem são coisas distintas? Sim! Política é fazer do poder um instrumento para alcançar o bem comum; politicagem é instrumentalizar o poder em benefício próprio à custa do bem comum. Política é serviço; politicagem é crime.” (Antonio Paiva Rodrigues)
Desse modo, prezados (as) o DAPSI tem buscado, tentado ao longo de seu histórico fazer, construir um Movimento Estudantil pautado no respeito, na democracia, na participação, no espaço dialógico, no reconhecimento de nossos erros buscando melhorar e mudar, mas o que de fato não admitimos é que quem está totalmente alheio ao nosso movimento, que não é associado(a) do DAPSI venha querer manchar, difamar, caluniar a sociedade civil dos(das) discentes de Psicologia, sem fins lucrativos, sem filiação político- partidária, constituída (no dia 28 de Janeiro de 2005) pelo conjunto de estudantes de Psicologia, que tem lutado por uma Universidade crítica, autônoma e democrática.
Sem mais, colocamos-nos sempre a disposição para diálogos francos.
Pra quem quiser conhecer um pouco do nosso movimento e dialogar conosco é só acessar o nosso blog: http://dapsicounivasf.blogspot.com/
 
Saudações estudantis,
Att: DAPSI-UNIVASF

ESTATUTO DO HOMEM (Ato Institucional Permanente)




Artigo I
Fica decretado que agora vale a verdade.
agora vale a vida, e de mãos dadas,
marcharemos todos pela vida verdadeira.

Artigo II
Fica decretado que todos os dias da semana,
inclusive as terças-feiras mais cinzentas,
têm direito a converter-se em manhãs de domingo.

Artigo III
Fica decretado que, a partir deste instante,
haverá girassóis em todas as janelas,
que os girassóis terão direito
a abrir-se dentro da sombra;
e que as janelas devem permanecer, o dia inteiro,
abertas para o verde onde cresce a esperança.

Artigo IV
Fica decretado que o homem
não precisará nunca mais duvidar do homem.
Que o homem confiará no homem
como a palmeira confia no vento,
como o vento confia no ar,
como o ar confia no campo azul do céu.

Parágrafo único:
O homem, confiará no homem
como um menino confia em outro menino.

Artigo V
Fica decretado que os homens
estão livres do jugo da mentira.
Nunca mais será preciso usar a couraça do silêncio
nem a armadura de palavras.
O homem se sentará à mesa com seu olhar limpo
porque a verdade passará a ser servida antes da sobremesa.

Artigo VI
Fica estabelecida, durante dez séculos,
a prática sonhada pelo profeta Isaías,
e o lobo e o cordeiro pastarão juntos
e a comida de ambos terá o mesmo gosto de aurora.

Artigo VII
Por decreto irrevogável fica estabelecido
o reinado permanente da justiça e da claridade,
e a alegria será uma bandeira generosa
para sempre desfraldada na alma do povo.

Artigo VIII
Fica decretado que a maior dor
sempre foi e será sempre
não poder dar-se amor a quem se ama e saber que é a água
que dá à planta o milagre da flor.

Artigo IX
Fica permitido que o pão de cada dia
tenha no homem o sinal de seu suor.
Mas que sobretudo tenha
sempre o quente sabor da ternura.

Artigo X
Fica permitido a qualquer pessoa,
qualquer hora da vida, o uso do traje branco.

Artigo XI
Fica decretado, por definição,
que o homem é um animal que ama
e que por isso é belo, muito mais belo que a estrela da manhã.

Artigo XII
Decreta-se que nada será obrigado
nem proibido, tudo será permitido,
inclusive brincar com os rinocerontes
e caminhar pelas tardes com uma imensa begônia na lapela.

Parágrafo único:
Só uma coisa fica proibida:
amar sem amor.

Artigo XIII
Fica decretado que o dinheiro
não poderá nunca mais comprar
o sol das manhãs vindouras.
Expulso do grande baú do medo,
o dinheiro se transformará em uma espada fraternal
para defender o direito de cantar
e a festa do dia que chegou.

Artigo Final.
Fica proibido o uso da palavra liberdade,
a qual será suprimida dos dicionários
e do pântano enganoso das bocas.
A partir deste instante
a liberdade será algo vivo e transparente
como um fogo ou um rio,
e a sua morada será sempre
o coração do homem.
[Thiago de Mello]
Santiago do Chile, abril de 1964

segunda-feira, 10 de maio de 2010

 Foto: Tácio Pimenta



”Meus filhos, ninguém escarneça da criação. O grão de areia é quase nada, mas parece uma
estrela pequenina refletindo o Sol de Deus...” [Chico Xavier]

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Sonhos que podemos ter!!



"Um dia me disseram que as nuvens não eram de algodão..."

Ultimamente tenho duvidado dessa negação...

Como diz uma Flor que conheço,
"O Vale do São Francisco tem o maior céu que eu já vi!"

Concordo!
Um dia ainda tiro uma foto panorâmica dele!

quarta-feira, 5 de maio de 2010

CARTA ABERTA

CARTA ABERTA
 
Petrolina, 03 de maio de 2010.
 
Ao CEB (Conselho de Entidades de Bases) da UNIVASF;
À Comunidade Acadêmica da UNIVASF;
Às instituições do Poder Executivo, Judiciário e Legislativo;
Ao Povo do submédio São Francisco;
 
 
Os Diretórios e Centros Acadêmicos, entidades legitimamente reconhecidas como representativas de cada curso de graduação da UNIVASF, abaixo-assinados, após longo período de discussão e acúmulo acerca de todo o processo eleitoral que elegeria a diretoria do Diretório Central dos Estudantes (DCE) para o ano de 2010-2011 e ainda;
CONSIDERANDO que o DCE da UNIVASF está sem diretoria desde 2009, pois a gestão anterior se encerrou e o DCE ficou sem representação legal desde então;
CONSIDERANDO que o CEB – Conselho de Entidades de Base – é formado pelos representantes dos Diretórios e Centros Acadêmicos de cada curso;
CONSIDERANDO que o CEB foi a entidade que, legalmente, convocou as eleições para diretoria do DCE;
CONSIDERANDO que foi o CEB quem instituiu a Comissão Eleitoral e, nesse sentido, pode destituí-la em caso de necessidade;
CONSIDERANDO que o CEB é a única instância com o poder de empossar a nova diretoria do DCE, uma vez que foi ele próprio quem convocou as eleições;
CONSIDERANDO a ilegalidade do REGIMENTO ELEITORAL, uma vez que este fere diretamente o ESTATUTO do DCE;
CONSIDERANDO que tal ilegalidade do Regimento se dá em seu artigo II, parágrafo 5°, quando dispõe que o número de disciplinas que um estudante precisa estar matriculado para poder se inscrever em chapa é de 1 (uma), enquanto o 31° artigo do Estatuto, parágrafo 4°, dispõe que o número de disciplinas que um estudante precisa estar matriculado para poder se inscrever em chapa é 3 (três);
CONSIDERANDO que o Estatuto do DCE dispõe em seu 34° artigo que a “campanha eleitoral desenvolver- se-á até 24 (vinte e quatro) horas antes da Assembléia respectiva”; 
CONSIDERANDO  que houve campanha eleitoral (através da boca de urna) nos dois dias de eleição;
CONSIDERANDO que o Estatuto do DCE dispõe em seu artigo 31°, parágrafo 4°: “Somente poderão obter o registro prévio os estudantes que estejam regularmente matriculados na Universidade, cursando pelo menos 3 (três) disciplinas no período letivo e não exercendo algum cargo em qualquer outra entidade da Universidade;
CONSIDERANDO que ambas as chapas foram homologadas com estudantes que exercem cargos em Diretórios e Centros Acadêmicos, ou seja, outras entidades da Universidade;
CONSIDERANDO que 1.296 (mil duzentos e noventa e seis) estudantes participaram do processo eleitoral, sendo registrado esse o número de votos presentes nas urnas;
CONSIDERANDO que o Estatuto do DCE dispõe em seu 33º artigo: “Serão considerados eleitos os candidatos que obtiverem, na apuração dos votos, maioria simples dos votos”;
CONSIDERANDO que o número mínimo de votos para se declarar vitoriosa nessas eleições seria o de 649 (seiscentos e quarenta e nove) votos, obtendo assim a maioria simples dos votos;
CONSIDERANDO que a chapa declarada vencedora pela Comissão Eleitoral obteve 627 votos, ou seja, menos do que o necessário para ser eleita por maioria simples;
CONSIDERANDO que o Regimento Eleitoral dispõe em seu artigo III, parágrafo 1°: “As eleições ocorrerão nos dias estipulados pela Comissão Eleitoral, devendo as urnas serem abertas às 8:00 horas e fechadas às 17:00 horas nos campi da UNIVASF por membro da Comissão Eleitoral”;
CONSIDERANDO que nos dois dias de eleição, por falta de organização da Comissão Eleitoral, as urnas do Campus de Ciências Agrárias foram abertas após as 13h, impossibilitando a participação dos estudantes que cursam disciplinas apenas no turno matutino e ferindo o que consta no artigo citado anteriormente;
 CONSIDERANDO que a Comissão Eleitoral empossou de modo ilegal a Chapa 1, uma vez que essa atribuição somente caberia ao CEB, haja vista o fato de este ter sido a instituição que convocou o processo eleitoral;
CONSIDERANDO que o 34º artigo do Estatuto do DCE determina que as chapas devem ser apresentadas oficialmente pelo menos 5 (cinco) dias antes da eleição;
CONSIDERANDO que em nenhum momento as chapas foram apresentadas oficialmente;
CONSIDERANDO o disposto no parágrafo único do 34º artigo do Estatuto do DCE: “O Diretório só poderá aceitar candidatura de chapas e estas só ganharão registros se estiverem completas”;
CONSIDERANDO que é da responsabilidade da Comissão Eleitoral a conferência e, apenas no caso de haver total regularidade, proceder ao registro das chapas e, ainda, no caso de verificação de qualquer irregularidade, proceder às medidas legais para solicitação de correção ou indeferimento da chapa irregular, no prazo de, no mínimo, 05 (cinco) dias antes do processo eleitoral;
CONSIDERANDO que, de acordo com o II artigo do Regimento, parágrafo 4°, após o indeferimento da chapa ou solicitação de correção fica resguardado o direito de recurso por parte da chapa que sofreu indeferimento ou pedido de correção,  no prazo de 3 (três) dias, ou seja, 2 (dois) dias antes do pleito;
CONSIDERANDO que a Comissão Eleitoral não respeitou os prazos previstos quanto à indeferimento ou solicitação de correção para a inscrição das chapas;
CONSIDERANDO que a Comissão Eleitoral legitimou a candidatura de ambas as chapas, uma vez que registrou suas inscrições e procedeu ao processo eleitoral com as duas chapas concorrentes;
CONSIDERANDO que a Comissão Eleitoral, ao inscrever as duas chapas no processo eleitoral, entendeu que não haveria necessidade de uso do direito de defesa no prazo de 03 (três) dias antes do pleito para que pudesse regularizar possíveis pendências ou recorressem de possível decisão de indeferimento de uma ou ambas as chapas;
CONSIDERANDO que a impugnação de uma das chapas por irregularidade se deu APÓS O PLEITO e DURANTE A APURAÇÃO DOS VOTOS;
CONSIDERANDO que os votos atribuídos à Chapa 2 antes da impugnação foram considerados “nulos” e aqueles atribuídos após sua impugnação foram considerados “inválidos”, mesmo que o Estatuto do DCE e o Regimento Eleitoral em nenhum momento definem qualidade de votos;
CONSIDERANDO que a comissão eleitoral foi composta ilegalmente uma vez que não possui os representantes das chapas e do CEB, conforme institui o 31º artigo do Estatuto do DCE;
CONSIDERANDO que não houve processo de eleição da Comissão Eleitoral por parte do CEB;
Tornam público o descontentamento e NÃO RECONHECIMENTO do processo eleitoral que elegeria a gestão 2010-2011 do DCE enquanto legítimo. Tal posicionamento está acima justificado em nossas considerações que nos fazem acreditar que o processo eleitoral deve ser refeito para que os estudantes tenham eleições justas, honestas e com a devida lisura que merecem.
Ademais, enquanto Diretórios e Centros Acadêmicos, membros do CEB, nos aproveitamos desta para CONVOCAR uma REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA cuja pauta será a EFETIVAÇÃO DA IMPUGNAÇÃO DO PROCESSO ELEITORAL. Tal reunião será realizada no dia 06 de maio de 2010, quinta-feira, entre as 19:40h e as 22h, na sala 18 do Campus Petrolina da UNIVASF.

A participação de tod@s  é de extrema importância!

domingo, 2 de maio de 2010